Paróquia São José do Jardim Europa

Artigos › 30/03/2018

Vitória da Vida

A injustiça da condenação de um inocente foi paga com a justiça do perdão e da misericórdia de Jesus. Do alto da cruz Ele pediu o perdão ao Pai pelos algozes, representantes de toda a humanidade pecadora. Sua ressurreição mostra a vida vencendo a morte. A fé no Salvador não pode ficar embutida na religião voltada só para o intimismo de cada um e confinada nas paredes das comunidades religiosas. A repercussão da Páscoa do Senhor é de efeito para toda a humanidade de todos os tempos. A superação da morte do Filho de Deus mostra sua divindade. Seus apóstolos foram encarregados de anunciar a todos quem Ele é o que veio fazer entre nós. Quem tem a cegueira de não O aceitar perde a razão de ser da vida. Afinal, todos morrem. Com a fé nele, seguindo seus ensinamentos, toda pessoa tem a certeza também da própria ressurreição prometida por Ele.

A superação das agressões à vida em nossa realidade só serão superadas quando o ser humano se converter para pagar o mal com o bem. Jesus poderia aniquilar seus agressores. Mas Ele foi coerente com seus ensinamentos de paz, solidariedade, perdão e colaboração com o semelhante, mesmo com os inimigos. Todo tipo de violência só será superado com o amor, a compaixão e o entendimento. A formação para a superação da violência começa desde o berço, em que se forma a pessoa humana para a convivência na harmonia, na compreensão do outro e na colaboração para um relacionamento no respeito e tolerância. A fé não pode ser simplesmente passiva, mas atuante, em que cada um toma a iniciativa de compreensão e aceitação das diferenças na convivência familiar, comunitária e social.

A Páscoa de Jesus nos prova que a vida vence a morte e todos os seus mecanismos. Mas é preciso fazer como o Divino Mestre: em tudo se deve pensar e agir em proveito do outro, mesmo se isso exigir doação e sacrifício de si. Quem é rico material, cultural, social e religiosamente deve ser solidário em contribuir com a própria riqueza para só fazer o bem ao próximo, principalmente aos que são violentados em seus direitos humanos e cidadãos. Para isso, como lembra Paulo, é preciso jogar para fora de si o lixo do egoísmo, do “fermento velho, para que sejais massa nova” (1 Coríntios 5,7). Isso só se faz vivendo com o exemplo e o sentido dado por Aquele que ressuscitou de entre os mortos. Assim a pessoa sai de seu túmulo egoísta para viver ressuscitada como Cristo. Então ela se torna superadora de toda violência em relação ao semelhante. Teremos mais justiça e paz na terra!

Com a ressurreição de Jesus abre-se a grande esperança para a humanidade. Apesar de tantos males, é possível ter confiança na mudança. Esta começa com cada pessoa que procura dar de si para a transformação da família, da política e toda atividade humana. Não podemos ficar parados esperando por outros messias. O verdadeiro já veio e nos provou que é possível fazer um mundo novo, em que reine a base de sustentação da vida digna para todos. Basta seguir sua pessoa e seus ensinamentos. O amor autêntico é capaz de transformar tudo.

Por Dom José Alberto Moura – Arcebispo de Montes Claros (MG)

Premium WordPress Themes Download
Download WordPress Themes Free
Download WordPress Themes Free
Premium WordPress Themes Download
free download udemy paid course
download xiomi firmware
Free Download WordPress Themes
free download udemy course

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.