Paróquia São José do Jardim Europa

Notícias › 16/02/2021

Santa Sé à OSCE: promover o empoderamento econômico das mulheres

Promover a segurança global, a estabilidade e o desenvolvimento sustentável através do empoderamento econômico das mulheres: foi o que pediu o observador permanente da Santa Sé junto à Organização para Segurança e Cooperação na Europa (OSCE), mons. Janusz Urbańczyk, em vista do 29º Fórum Econômico e Ambiental do órgão
Isabella Piro/Raimundo de Lima – Vatican News

 

“O desejo de proteger e promover a verdadeira igualdade de toda pessoa humana e o reconhecimento da complementaridade entre mulheres e homens continuam sendo prioridades importantes da Santa Sé”: com essas palavras, o observador permanente da Santa Sé junto à OSCE (Organização para Segurança e Cooperação na Europa, com sede em Viena, na Áustria), mons. Janusz Urbańczyk, iniciou sua fala em pronunciamento na segunda-feira (15/02) via Zoom no primeiro encontro preparatório do 29º Fórum Econômico e Ambiental do órgão.

Em particular, o prelado polonês fez uma exortação a “considerar importante a questão do empoderamento econômico” feminino, porque “a persistência de muitas formas de discriminação que ofendem a dignidade e a vocação da mulher no campo do trabalho se deve a uma longa série de condições que as penaliza”, deturpando suas prerrogativas e relegando-as “às margens da sociedade e até mesmo reduzidas à escravidão”.

A valorização da mulher fortalece a paz e a segurança social
Em seguida, na esteira das afirmações de São João Paulo II, o observador permanente insistiu na “necessidade urgente de alcançar uma verdadeira igualdade em todos os campos: salário igual para trabalho igual, proteção das mães trabalhadoras, equidade na progressão na carreira, igualdade dos cônjuges em relação aos direitos familiares e o reconhecimento de tudo o que faz parte dos direitos e deveres dos cidadãos em um Estado democrático”.

Ao mesmo tempo, o representante vaticano ressaltou que aumentar o empoderamento econômico e político das mulheres e promover sua participação na vida pública “certamente contribui para aumentar a paz e a segurança tanto dentro da sociedade em geral quanto dentro da família, célula social fundamental”.

Os riscos da pandemia da Covid-19
O prelado sublinhou que, infelizmente, a atual pandemia da Covid-19 “confirmou que a participação das mulheres no mercado de trabalho ainda é frágil”: de fato, elas são frequentemente “as primeiras a perder seus empregos, sobretudo em empregos mal remunerados ou no setor informal, onde representam a maioria e carecem de proteção e benefícios financeiros”.

Além disso, o ônus da educação doméstica “aumentou a pressão sobre o gênero feminino”, independentemente do fato de ter ou não um emprego remunerado.

A complementaridade entre homens e mulheres é necessária
Por isso, o representante vaticano apelou para “a colaboração complementar de homens e mulheres” a fim de construir um futuro melhor. A valorização do gênero feminino e seu fortalecimento “em todas as áreas da vida e do trabalho”, concluiu mons. Urbańczyk, reforçará de fato a segurança, a estabilidade e o desenvolvimento sustentável para todos.

Fonte: Vatican News / Imagem: Reprodução web

Free Download WordPress Themes
Premium WordPress Themes Download
Download Nulled WordPress Themes
Download WordPress Themes Free
udemy paid course free download
download intex firmware
Download WordPress Themes
lynda course free download

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X