Paróquia São José do Jardim Europa

Notícias › 11/04/2019

Papa: o tráfico de seres humanos é uma traição à nossa humanidade

Muito tem sido feito, mas muito ainda resta por fazer: a audiência aos participantes da Conferência Internacional sobre o Tráfico de Seres Humanos foi a ocasião para o Papa Francisco agradecer-lhes e encorajá-los na luta contra esta chaga.

O encontro foi organizado pela Seção Migrantes e Refugiados do Dicastério para o Desenvolvimento Humano Integral, com a finalidade de criar estratégias para aplicar as Orientações Pastorais sobre o Tráfico Humano recentemente publicadas.

Prática que desumaniza

Em seu discurso, o Pontífice citou a frase do Evangelho de João, que resume a missão de Jesus Cristo: “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância”. Mas hoje, infelizmente – constatou o Papa -, o mundo é marcado por situações que impedem a missão de Jesus: uma delas é justamente o tráfico de seres humanos.

Este tipo de tráfico expõe a tendência a mercantilizar a pessoa. Mas neste fenômeno, a vítima não é só quem sofre as consequências, mas também que as provoca:

“O tráfico, de fato, deturpa a humanidade da vítima, ofendendo a sua liberdade e dignidade. Mas, ao mesmo tempo, desumaniza quem a pratica, negando-lhe o acesso à ‘vida em abundância’. O tráfico, por fim, fere gravemente a humanidade no seu conjunto, dilacerando a família humana e o Corpo de Cristo.”

O Papa qualificou esta chaga como uma “injustificável violação da liberdade e da dignidade das vítimas”, por isso deve ser considerada um “crime contra a humanidade”.

Traição da nossa humanidade

Em todo o seu discurso, o Pontífice não cria uma dicotomia entre algoz e sacrificado:

“Quem se mancha deste crime prejudica não somente os outros, mas também a si mesmo. Na relação que instauramos com os outros, está em jogo a nossa humanidade, aproximando-nos ou afastando-nos do modelo de ser humano desejado por Deus e revelado no Filho encarnado. Portanto, toda escolha contrária à realização do projeto de Deus é uma traição da nossa humanidade e renúncia à ‘vida em abundância’ oferecida por Jesus Cristo.”

Trabalho arriscado e anônimo

Quem trabalha para restaurar e promover a dignidade humana está em sintonia com a missão da Igreja: “A sua presença, queridos irmãos e irmãs, é sinal tangível do esforço que muitas Igrejas locais assumiram generosamente neste âmbito pastoral.”

Para Francisco, são “dignas de admiração” as iniciativas criadas para prevenir o tráfico, proteger os sobreviventes e perseguir os culpados. Um trabalho feito de forma arriscada e anônima. De modo especial, o Papa agradeceu às muitas congregações religiosas que atuaram e continuam a atuar como “vanguarda” da ação missionária da Igreja contra toda forma de tráfico.

“Muito tem sido feito, mas muito ainda resta por fazer”, encorajou o Pontífice, reiterando a necessidade de trabalhar em rede, seja em nível local, seja em nível internacional, seja com instituições eclesiásticas, seja políticas e civis.

Sob a intercessão da Santa Josefina Bakhita, Francisco concluiu invocando abundantes bênçãos sobre todos que lutam contra o tráfico de seres humanos.

Via Vatican News

Download Premium WordPress Themes Free
Free Download WordPress Themes
Download WordPress Themes
Download WordPress Themes Free
free download udemy course
download xiomi firmware
Free Download WordPress Themes
free download udemy paid course

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.