Paróquia São José do Jardim Europa

Notícias › 17/12/2018

Papa: mesmo nos problemas e sofrimentos, Deus nos guia sempre

“A consciência de que nas dificuldades podemos sempre dirigir-nos ao Senhor, e de que Ele jamais refuta nossas invocações, é um grande motivo de alegria”: disse o Papa Francisco na oração do Angelus ao meio-dia deste III Domingo do Advento (16/12), chamado domingo da alegria.

De fato, o Santo Padre enfatizou que neste domingo a liturgia nos convida à alegria, destacando as palavras com as quais o profeta Sofonias se dirige à pequena porção do povo de Israel: “Alegra-te, filha de Sião, grita de alegria, Israel, exulta e aclama com todo o coração, filha de Jerusalém!” (3,14). “Gritar de alegria, exultar, alegrar-se: este é o convite deste domingo”, prosseguiu.

“Os habitantes da cidade santa são chamados a alegrar-se porque o Senhor revogou a sua condenação”, frisou o Pontífice e acrescentou – atendo-se liturgia dominical – que Deus perdoou, não quis punir, consequentemente, para o povo não há mais motivo de tristeza e de desconforto, mas tudo leva a uma gratidão alegre a Deus, que quer sempre resgatar e salvar aqueles que ama.

Domingo Gaudete, domingo da alegria

O amor do Senhor pelo seu povo é incessante, comparável à ternura do pai pelos filhos, do esposo pela esposa, como diz ainda Sofonias: “Alegrar-se-á por tua casa, renovar-te-á por seu amor, exultará por ti com grito de alegria” (v. 17). “Este é – assim se chama – domingo da alegria. O terceiro domingo do Advento, antes do Natal”, disse ainda.

Este apelo do profeta é particularmente apropriado no tempo em que nos preparamos para o Natal, disse o Papa, “porque se aplica a Jesus, o Emanuel, o Deus-conosco: a sua presença é a fonte da alegria”.

“As palavras do anjo Gabriel à Virgem são como um eco das palavras do profeta. O que diz o arcanjo Gabriel?: ‘Alegrai, cheia de graça, o Senhor é convosco’ (Lc 1,28). Isso é, ‘alegrai-vos’, diz a Nossa Senhora. Numa aldeia perdida da Galileia, no coração de uma jovem mulher desconhecida para o mundo, Deus acende a centelha da felicidade para o mundo inteiro.”

E hoje o mesmo anúncio é dirigido à Igreja, chamada a acolher o Evangelho para que se torne carne, vida concreta, e diz à Igreja, a todos nós: «Alegrai-vos, pequena comunidade cristã, pobre e humilde, mas bonita a meus olhos porque desejai ardentemente meu Reino, tendes fome e sede de justiça, teceis com paciências com textura de paz, não segui os poderosos do momento, mas permaneceis fielmente ao lado dos pobres. E assim não tendes medo de nada, mas vosso coração é na alegria”.

Na presença do Senhor, nosso coração na alegria

“Se nós caminharmos assim, na presença do Senhor, nosso coração estará sempre na alegria. A alegria de alto nível, quando há, repleta, a alegria humilde de todos os dias, isto é, a paz. A paz é a menor alegria, mas é a alegria.”

Francisco lembrou que também São Paulo na liturgia deste domingo nos exorta a não angustiar-nos sem esperança por nada, mas em toda circunstância apresentar a Deus nossos pedidos, nossas necessidades, nossas preocupações, “com orações e súplicas” (Fil 4,6).

“Nenhuma preocupação, nenhum medo jamais conseguirá tirar-nos a serenidade que vem não de coisas humanas, das consolações humanas: não; a serenidade que vem de Deus, do saber que Deus guia amorosamente nossa vida, e o faz sempre. Mesmo em meio aos problemas e aos sofrimentos, esta certeza alimenta a esperança e a coragem.”

Advento, tempo de conversão

Mas para acolher o convite do Senhor à alegria, prosseguiu o Santo Padre, é preciso ser pessoas dispostas a interrogar-se. O que significa isso? “Justamente como aqueles que, após ter ouvido a pregação de João Batista, lhe perguntam: ‘Tu pregas assim. E nós, o que devemos fazer? O que devo fazer? (Lc 3,10)’. Essa pergunta é o primeiro passo para a conversão que somos convidados a realizar neste tempo do Advento”, exortou Francisco.

Na saudação aos vários grupos de fiéis e peregrinos presentes, o Pontífice lembrou que na semana passada foi aprovado em Marraquexe, em Marrocos, o Pacto Mundial por uma Migração Segura, Ordenada e Regular, que se propõe a ser um quadro de referência para a comunidade internacional.

Portanto, faço votos de que a comunidade internacional, “graças também a este instrumento, possa atuar com responsabilidade, solidariedade e compaixão por aqueles que, por vários motivos, deixaram seu país, e confio esta intenção às orações de vocês”, disse o Papa.

Bênção dos “Bambinelli”, imagens do Menino Jesus

Francisco dirigiu-se de modo especial às crianças de Roma, presentes na Praça São Pedro para a bênção dos “Bambinelli”, imagens do Menino Jesus a serem colocadas no presépio. O Pontífice agradeceu aos Oratórios Romanos e aos voluntários.

O Papa abençoou as imagens do Menino Jesus ressaltando que o Espírito Santo colocará no coração delas a humildade, a ternura e a bondade de Jesus. “Este é o verdadeiro Natal! Que seja assim para vocês e para seus familiares.”

Via Vatican News

Free Download WordPress Themes
Download Best WordPress Themes Free Download
Download Premium WordPress Themes Free
Premium WordPress Themes Download
lynda course free download
download xiomi firmware
Download Best WordPress Themes Free Download
udemy course download free

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.