Paróquia São José do Jardim Europa

Notícias › 24/05/2017

Papa Francisco recebe Donald Trump e o convida a cultivar a paz

Um encontro cordial de 30 minutos em que o Papa Francisco convidou o presidente norte-americano Donald Trump a cultivar a paz e o presenteou com diferentes documentos do seu pontificado, como a “Amoris Laetitia” ou a encíclica “Laudato Si’”, sobre o cuidado da criação.

Na manhã de hoje, o Pontífice recebeu a delegação oficial dos Estados Unidos, liderada pelo seu presidente e formada pela sua filha mais velha, Ivanka; seu filho, Jared Kushner; o secretário de Estado, Rex Tillerson; o conselheiro de segurança nacional, o tenente general H. R. McMaster, e a porta-voz presidencial Hope Hicks, além de outras oito pessoas.

O Papa recebeu Trump com um “encantado em conhecê-lo” e em seguida seguiram para a biblioteca privada, onde se sentaram um de frente para o outro diante de uma mesa. Depois de alguns segundos de conversa informal, os fotógrafos, câmeras de televisão e jornalistas foram convidados a se retirar da sala e começaram o diálogo privado, com a ajuda de intérpretes. Tudo isso com o procedimento habitual realizado com todos os chefes de Estado que se reúnem com o Papa.

“É uma grande honra”, saudou Trump a Francisco. O Papa revelou: “não falo inglês muito bem, então preciso de um tradutor”. Entretanto, o presidente lhe respondeu que não é assim.

Depois da reunião privada, ocorreu a tradicional troca de presentes. Trump ofereceu um cofre: “É um presente. Este é um livro de Martin Luther King. Acho que você vai gostar. Espero que sim”.

Por sua parte, o Santo Padre ofereceu ao presidente um medalhão em que é representado dois ramos de oliveira entrelaçados, como símbolo da paz e da unidade. “É uma oliveira, é o símbolo de paz, com dois ramos. Aqui, a divisão da guerra, no meio, e a oliveira está tentando reuni-los lentamente em paz”, explicou o Papa. “Nós precisamos de paz”, respondeu Trump. “Este é um dos meus maiores desejos: que possa ser uma oliveira para a paz”, disse-lhe Francisco.

Além disso, o Pontífice lhe deu de presente a mensagem para o Dia Mundial da Paz e a encíclica “Laudato Si’”, sobre o cuidado da criação, a “Evangelii Gaudium” e o documento pós-sinodal “Amoris Laetitia”. “Um documento sobre a família, outro sobre a evangelização e outro sobre o meio ambiente e sobre o cuidado da casa comum”. “Eu vou ler”, disse-lhe Trump.

Em um comunicado, o Vaticano explicou que “durante as conversas cordiais, manifestou a satisfação pelas boas relações bilaterais entre a Santa Sé e os Estados Unidos da América, assim como pelo compromisso comum a favor da vida e da liberdade religiosa e de consciência”.

“Foi manifestado o desejo de uma colaboração serena entre o Estado e a Igreja Católica nos Estados Unidos, comprometida em servir a população nas áreas da saúde, da educação e da assistência aos imigrantes”.

Além disso, “as conversas também permitiram uma troca de pontos de vista sobre alguns temas relacionados com a atual situação internacional e com a promoção da paz mundial através da negociação política e do diálogo inter-religioso, referindo-se especialmente à situação no Oriente Médio e à proteção das comunidades cristãs”.

Em seguida, a delegação norte-americana continuou com sua programação em Roma. Melania Trump, esposa do presidente, foi ao hospital Bambino Gesù – especializado em crianças – para visitar a área de cardiologia e saudar alguns enfermos. Também visitou a capela do hospital.

Por sua parte, Ivanka, filha do presidente, participou de um evento organizado pela Comunidade de Santo Egídio, no qual falou sobre o tráfico de pessoas e depois saudou alguns refugiados.

Sobre Trump, em uma entrevista publicada em novembro no jornal italiano ‘La Repubblica’, Francisco afirmou: “não faço julgamentos sobre as pessoas ou sobre os políticos. Apenas quero compreender quais são os sofrimentos que as suas formas de proceder causam nos pobres e nos excluídos”. Algo que também expressou durante o voo de regresso de Fátima há alguns dias.

Precisamente após esta visita, o Pontífice assinalou que “uma pessoa que pensa somente em levantar muros, seja onde for, e não em fazer pontes, não é cristã. Isso não está no Evangelho”, referindo-se à construção de um muro na fronteira entre o México e os Estados Unidos. Deste modo, Francisco também fez referência a declarações de Trump na televisão, quando afirmou que o Papa “é uma pessoa muito política” que “não entende os problemas do nosso país” e “o perigo de fronteira aberta com o México”.

Depois das palavras do Papa, o presidente respondeu (antes de ser eleito), que “para um líder religioso, é escandaloso questionar a fé de uma pessoa”. E acrescentou que, no caso de um ataque jihadista contra o Vaticano, Francisco “rezará só para que Donald Trump seja presidente, porque isso não poderá acontecer comigo”.

Por ACI Digital

Free Download WordPress Themes
Download Best WordPress Themes Free Download
Download WordPress Themes Free
Download WordPress Themes Free
download udemy paid course for free
download mobile firmware
Download Best WordPress Themes Free Download
free download udemy course

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.