Paróquia São José do Jardim Europa

Notícias › 02/04/2021

O Papa: a voz do povo não deve estar ausente na Igreja e na sociedade

Ele diz que o nome “é excessivo”, mas acontece de ser excessivo quando se procura palavras para expressar grande afeto. Porque é isto o que políticos e moradores de favelas, padres e artistas, sindicalistas e atletas quiseram fazer, todos juntos – desde os palácios do poder de Buenos Aires até os barracos de um bairro suburbano – tendo como denominador comum uma grande estima e admiração pelo Papa Francisco. Eles quiseram colocar no papel um pensamento, um desejo que expressasse esses sentimentos e que fosse enviado do outro lado do mundo, à Casa Santa Marta.

Aconteceu algo que eu não esperava, e quero agradecer a vocês por isso. Há um grupo ideal que não se conhece mas talvez unido por bons desejos que se chama “Geração Francisco” e que de alguma forma segue as coisas que faço, as coisas que digo e que mais ou menos me quer bem, que não me insulta, que não fala mal de mim e que usa as coisas que digo para fazer o bem.

No início da vídeomensagem, o Papa revela o perfil deste grupo variegado com o nome “excessivo” de “Geração Francisco”, que faz da “cultura do encontro” uma escolha da vida cotidiana. E que aproveitou o aniversário de seu Pontificado, celebrado pela oitava vez no dia 13 de março passado, para aderir, em massa, à ideia concebida pelo padre José María Di Paola, “padre Pepe” para quem o conhece e muitos o conhecem nas ” villas miserias”. O sacerdote de 59 anos de idade lançou com o slogan “Profeta de nossa terra” a coleta de mensagens de felicitações ao Papa Francisco – mais de 100 mil e continuam a aumentar graças às redes sociais – e o inesperado coro dessas vozes tocou acordes profundos no Papa, sempre sensível quando é o “pueblo” que fala.

Estamos frequentemente acostumados a tomar decisões sem consultar o povo (…) tanto na vida paroquial, quando o pároco não consulta o povo; como na vida da província, quando o governador não consulta o povo; e na diocese, quando o bispo não consulta o povo; e na nação, quando as autoridades não consultam o povo, mesmo no caso de leis importantes e controversas sobre a moral, e o povo é o grande ausente.

Para Francisco, o gesto do padre Pepe – “capaz de mover corações simplesmente porque é autêntico” – serviu precisamente para isso, para desencadear o “recurso” de ouvir o povo. O único, diz ele, verdadeiramente “soberano”, porque a autoridade é legitimada pelo povo.

Não se esqueçam, nunca se erra quando se consulta o povo, sempre na ordem civil, e nunca se erra quando se consulta o santo povo fiel de Deus na Igreja (…) que leva avante a fé e a leva em seu próprio dialeto.

 

Fonte: VaticanNews

Download Premium WordPress Themes Free
Download WordPress Themes Free
Download Premium WordPress Themes Free
Free Download WordPress Themes
download udemy paid course for free
download redmi firmware
Free Download WordPress Themes
download udemy paid course for free

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X