Paróquia São José do Jardim Europa

Notícias › 08/06/2020

Movida por protestos, Pastoral Afro-Brasileira divulga Nota: Vidas Negras Importam

Vidas-Negras-Importam-1200x762-c

Movida pela onda de protestos contra o racismo e a violência policial nos EUA, nos últimos dias, em função do assassinato de George Floyd, a Pastoral Afro-Brasileira, ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), emitiu uma nota “Vidas Negras Importam”.

Segundo a Nota, “trata-se de um clamor que brota de diferentes vozes, afirmando que ‘vidas negras importam sim’, e não podem ser exterminadas de forma brutal e covarde pelas forças policiais”. No documento, a Pastoral Afro-Brasileira afirma não ser possível calar-se diante dos processos históricos de banalização e destruição das vidas dos negros e negras. Conheça, abaixo, a íntegra da nota: “Vidas Negras Importam” abaixo.

Nota da Pastoral Afro-Brasileira
Vidas negras importam

A Pastoral Afro-Brasileira da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) vem, por meio desta nota, pronunciar-se sobre as manifestações antirracismo que acontecem nos Estados Unidos, Brasil e demais países. É um clamor que brota de diferentes vozes, afirmando que “vidas negras importam sim”, e não podem ser exterminadas de forma brutal e covarde pelas forças policiais.

Aos olhos do criador todas as vidas são importantes, pois surgiram do seu querer amoroso e do sopro vital. A Campanha da Fraternidade deste ano lembrava que a vida é dom e compromisso, motivando todos os brasileiros a renovar seu compromisso de respeito e cuidado com a vida. Não é possível calar diante dos processos históricos de banalização e destruição das vidas dos negros e negras. Esta realidade nefasta, originada na escravidão, ainda pesa sobre o povo negro e se manifesta de diferentes formas na sociedade. É um verdadeiro holocausto, justificado pelo odioso racismo que matou e continua exterminando negros e negras. “Vidas negras importam sim”, é o nosso clamor, o grito seco de nossa garganta, que de forma alguma pode se ausentar da nossa missão evangelizadora.

A Conferência de Aparecida nos ensina que devemos apoiar a luta deste povo: “por isso, a Igreja denuncia a prática da discriminação e do racismo em suas diferentes expressões, pois ofende o mais profundo da dignidade humana, criada a imagem e semelhança de Deus” (DAp 533). Esta luta é de toda a Igreja. Não somente de um grupo. Está presente na irreverente campanha da pastoral da juventude, na luta constante da pastoral afro-brasileira contra o extermínio da juventude negra e também na fala profética do Santo Padre, o Papa Francisco: “não podemos tolerar nem fechar os olhos diante de nenhuma forma de racismo ou de exclusão e pretendemos defender o caráter sagrado de toda vida humana (…) me uno a todos para rezar pelo descanso da alma de George Floyd e de todos aqueles que perderam suas vidas por causa do pecado do racismo”.

Com todas as pessoas de boa vontade, ajuntemos esforços para combater este monstro nefasto. Trata-se de uma ameaça iminente de morte para: crianças, jovens, adultos e idosos. Nesta luta não é possível ignorar e ficar indiferente à política genocida do governo brasileiro, ameaçador da vida e dos direitos arduamente conquistados. Chega de violência! Este é o nosso apelo: “vidas negras importam sim”!

Não podemos parar. Continuemos usando nossas vozes e capacidade de mobilização para continuar denunciando toda a forma de discriminação e racismo. Temos a tarefa de deixar para as gerações futuras um mundo melhor onde a justiça, a paz e a igualdade serão normas de vida.

Que Nossa Senhora Aparecida, a Negra Mariama, nos ajude nesta missão.

Padre José Enes de Jesus
Assessor da PAB-CNBB

Dom Zanoni Demettino Castro
Arcebispo de Feira de Santana (BA)
Bispo Referencial da PAB-CNBB

Via CNBB

Download WordPress Themes
Download Nulled WordPress Themes
Download Premium WordPress Themes Free
Download WordPress Themes
lynda course free download
download lava firmware
Download Nulled WordPress Themes
download udemy paid course for free

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X