Paróquia São José do Jardim Europa

Artigos › 29/10/2019

Eu não sei ser santo! Como posso fazer isso?

formacao-1600x1200-eu-nao-sei-ser-santo-como-posso-fazer-isso-768x575

Poderíamos nos perguntar: “Como faço para ser santo?”. O próprio Jesus vai nos orientar quando, nas bem-aventuranças, Ele deixa ali o passo a passo, ou podemos também dizer, o manual para sermos bons cristãos.

Jesus orienta, na pregação das bem-aventuranças, o passo a passo para ser santo

O ponto fundamental para caminharmos nas bem-aventuranças é pedir que o Espírito Santo nos liberte do egoísmo, da preguiça e do orgulho, pois, só assim, teremos todas as condições humanas-espirituais para respondermos esse chamado tão sublime. Por isso, agora, vamos entender quando Jesus nos fala:

“Felizes os pobres em espírito, porque deles é o Reino de Deus”

A sua segurança não está nas riquezas, mas em Deus. Quando você apontar o seu coração para as coisas do céu, para Deus e para a Sua Palavra, perceberá que existe algo que não passa, e somente as coisas que o remetem para Deus podem atender ao anseio mais profundo da sua alma. Retire do seu coração o que se tornou riqueza, mas que, na realidade, são coisas passageiras e superficiais, e dê espaço para a Palavra de Deus. É o que o Papa Francisco nos diz: “Ser pobre no coração, isso é santidade!”.

“Felizes os mansos, porque possuirão a terra”

Estamos em uma cultura em que precisamos, cada vez mais, ser fortes e lutar pelo que queremos, muitas vezes, passando por cima de pessoas e aderindo a meios até mesmo ilícitos para isso. Contudo, a ordem de Jesus é: “Aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração” (Cf. Mt 11,29). Ser manso é uma expressão do acreditar em Deus, depositar n’Ele as suas preocupações e confiar. Saber suportar as diferenças e os defeitos dos outros é exercício de santidade. Papa Francisco nos diz: “Reagir com humildade, mansidão, isso é santidade!”.

“Felizes os que choram, porque serão consolados”

Precisamos ir contra a correnteza, mudar o rumo da nossa vida. Quando o mundo ensina que o que precisamos é aproveitar a vida, buscar o prazer desmedido, a distração e o divertimento, isso pode gerar em nosso interior um desprezo ou até mesmo uma indiferença com os que choram ao nosso lado, com os mais necessitados. Quando buscamos, a todo momento, esses prazeres, podemos estar fugindo da realidade que, muitas vezes, nos faz chorar. A ideia do mundo é que você não chore, porém, também se faz necessário chorar, e, muitas vezes, chorar com os outros. Papa Francisco nos diz: “Saber chorar com os outros, isso é santidade!”.

“Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados”

A fome e a sede são expressões das necessidades básicas do ser humano, por isso dizem da sobrevivência. Quem mais do que Jesus não buscou a justiça? É necessário buscarmos também com a mesma fome e sede a justiça. O caminho para isso é ser justo nas próprias decisões e atitudes. Por isso, o Papa Francisco nos diz: “Buscar a justiça com fome e sede, isso é santidade!”.

“Felizes os misericordiosos, porque alcançarão misericórdia”

A maneira mais simples e prática para sabermos usar da misericórdia é: “a medida que usardes para os outros, servirá também para vós” (Cf. Lc 6,38). Ter com os meus irmãos a mesma atitude com que eu gostaria que tivessem comigo, será um bom medidor. O Senhor já nos olhou com misericórdia e nos perdoou, aprendamos de Jesus a perdoar os que nos ofenderam. Papa Francisco nos diz: “Olhar e agir com misericórdia, isso é santidade!”.

“Felizes os puro de coração, porque verão Deus”

A condição para ver Deus é um coração puro, simples. O coração é a sede das intenções, é onde está o nosso sagrado, o que muitas vezes só nós e Deus conhecemos. Por isso, vale nos perguntarmos: “O que tenho guardado no meu coração?”. Precisamos guardar coisas boas e santas, não sujeiras; caso contrário, afastaremo-nos de Deus. Podemos fazer a escolha de cultivarmos o amor ou a indiferença no nosso coração. Papa Francisco nos ensina: “Manter o coração limpo de tudo o que mancha o amor, isso é santidade!”.

“Felizes os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus”

Hoje, em um mundo de guerra, quem semeia a paz pode ser considerado herói. Precisamos ser artífices da paz com serenidade e criatividade. Papa Francisco nos diz: “Semear a paz ao nosso redor, isso é santidade!”. Eis aí o desafio de vivenciar o Evangelho. Aprendamos de Jesus o caminho para a santidade.

Que Deus o conduza por bons propósitos!

Por Fábio Nunes, via Canção Nova

Download Premium WordPress Themes Free
Download Nulled WordPress Themes
Download WordPress Themes Free
Download Nulled WordPress Themes
udemy free download
download intex firmware
Download WordPress Themes Free
ZG93bmxvYWQgbHluZGEgY291cnNlIGZyZWU=

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X