Paróquia São José do Jardim Europa

Notícias › 13/09/2016

Papa: vencer a indiferença e construir a cultura do encontro

Trabalhar para construir uma verdadeira cultura do encontro, que vence a cultura da indiferença. Esse foi o pedido do Papa Francisco, na Missa desta terça-feira, 13, na Casa Santa Marta.

Francisco falou do encontro de Deus com o Seu povo e advertiu para os maus hábitos que, em família, afastam da escuta do outro. A Palavra de Deus hoje faz refletir sobre um encontro. Com frequência, observou o Papa, as pessoas se cruzam, mas não se encontram. Cada um pensa em si mesmo; olha, mas não vê; ouve, mas não escuta.

“O encontro é outra coisa, é aquilo que o Evangelho hoje nos anuncia: um encontro entre um homem e uma mulher, entre um filho único vivo e um filho único morto; entre uma multidão feliz, porque encontrou Jesus e o segue, e um grupo de pessoas, chorando, que acompanha aquela mulher, que saía de uma porta da cidade; encontro entre aquela porta de saída e a porta de entrada. Um encontro que nos faz refletir sobre o modo de nos encontrarmos entre nós”.

O Evangelho fala da grande compaixão que Deus teve nessas situações. Essa compaixão, advertiu Francisco, não é o mesmo que as pessoas sentem quando andam na rua e veem uma coisa triste e pensam: “Que pena!”. Jesus não passa além, é tomado pela compaixão. Aproxima-se da mulher, encontra-a realmente e depois faz o milagre.

Neste episódio, o Papa destacou que não se vê apenas a ternura, mas também a fecundidade de um encontro. “Todo encontro é fecundo. Todo encontro restitui as pessoas e as coisas no seu lugar. Estamos acostumados com a cultura da indiferença e temos que trabalhar e pedir a graça de fazer a cultura do encontro, do encontro fecundo que restitui a todas as pessoas a própria dignidade de filhos de Deus. Nós estamos acostumados com esta indiferença, quando vemos as calamidades deste mundo ou as pequenas coisas: ‘Mas que pena, pobres pessoas, como sofrem’, e ir adiante. Se eu não vir – não é suficiente ver, mas olhar –, se eu não paro, não olho, não toco, se não falo, não posso fazer um encontro nem ajudar a fazer a cultura do encontro”.

O Papa explicou ainda que todos ficaram com muito medo e glorificavam a Deus por visitar o seu povo. Da mesma forma, ele disse que gosta de ver também o encontro de todos os dias entre Jesus e sua esposa, a Igreja, que aguarda o Seu retorno.

A mensagem de hoje é que todos são carentes da Palavra de Deus e precisam desse encontro com Ele. “À mesa, em família, quantas vezes se come, se vê TV ou se escreve mensagens no celular. Todos são indiferentes a este encontro. Até no fulcro da sociedade, que é a família, não existe encontro. Que isto nos ajude a trabalhar por esta cultura do encontro, tão simplesmente como o fez Jesus. Não olhar apenas, mas ver; não ouvir apenas, mas escutar; não só cruzar com os outros, mas parar. Não dizer apenas ‘que pena, pobres pessoas’, mas se deixar levar pela compaixão. Depois, aproximar-se, tocar e dizer do modo mais espontâneo no momento, na linguagem do coração: ‘Não chore’. E dar pelo menos uma gota de vida”.

Por Canção Nova, com Rádio Vaticano

Free Download WordPress Themes
Free Download WordPress Themes
Download WordPress Themes
Download Nulled WordPress Themes
download udemy paid course for free
download samsung firmware
Free Download WordPress Themes
free download udemy course

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.