Paróquia São José do Jardim Europa

Artigos › 19/07/2018

A felicidade é Cristo!

Vivemos em ambientes onde a todo momento evidencia-se o discurso da crise. O casamento está em crise. O cenário político está em crise. Enfim, as instituições estão em crise. E todas essas realidades permeadas pelo drama da crise escondem um questionamento buscado por todos: “Qual é o caminho da felicidade?”. A Igreja sempre conservou o entendimento de que a felicidade é um caminho que deve ser trilhado nos passos da estrada de Jesus, isto é: tornar-se seu discípulo. Encontra o caminho da vida, da felicidade, quem segue o Filho de Deus.

A pergunta fundamental do caminho da felicidade nem sempre consegue ser respondida por todas as pessoas, às vezes temos grandes dificuldades na vida que nos impedem de abraçar o caminho de felicidade proposto pelo Evangelho de Jesus. Contudo, o Senhor veio para “evangelizar os pobres” (Lc 4, 18), veio para nos dar a felicidade, para nos tirar da indigência das mentiras e das ideologias, que falsamente prometem uma vida feliz construída sobre a areia (Mt 7, 26).

A Igreja tem a missão de proporcionar aos seus filhos uma espiritualidade segura que os leve à superação de suas crises, sejam elas quais forem. Sabemos que o verdadeiro problema do nosso tempo é a “crise da ausência de Deus”, como reiteradamente nos afirma o Papa Emérito Bento XVI, e não podemos camuflar essa ausência com métodos de uma religiosidade vazia e sentimentalista. A espiritualidade dos que buscam realmente a felicidade no caminho de Jesus mostra-se no jeito de ser do grão de trigo (Jo 12, 24); o sucesso de uma vida feliz, tão reclamada pelo homem da modernidade, só será possível mediante a troca de prioridades: tirar o homem do centro e “recolocar” Deus em seu lugar.

A raiz de todas as crises vividas na contemporaneidade encontra-se no antropocentrismo – o homem no centro. E esse homem não aceita o caminho do grão de trigo, não aceita morrer. Para os cristãos, a fecundidade do caminho de felicidade está intimamente relacionada com a capacidade de sofrimento; o homem é verdadeiramente feliz quando faz comunhão com o Cristo Crucificado, verdadeiro Homem que ressuscitou: “Agora, alegro-me nos sofrimentos que suporto por vós e completo na minha carne o que falta às tribulações de Cristo, pelo seu Corpo, que é a Igreja (Cl 1, 24).

Por Dom Manoel Delson – Arcebispo da Paraíba

Download Premium WordPress Themes Free
Free Download WordPress Themes
Download Best WordPress Themes Free Download
Free Download WordPress Themes
free download udemy course
download coolpad firmware
Download Best WordPress Themes Free Download
online free course

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.